Início >> Noticia >> Espetáculo teatral inspirado no inferno de Dante Alighieri
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Espetáculo teatral inspirado no inferno de Dante Alighieri

 

O inferno criado por Dante serviu de inspiração para o espetáculo “Lúgubre”, que voltou para sua segunda temporada. A peça é uma montagem da Companhia Paraense de Potoqueiros, dirigida por Breno Monteiro. O grupo leva ao palco um espetáculo instigante, com temas atuais. O grupo tem como lema o mote “Os artistas não devem calar” e a peça é uma crítica social e do comportamento humano.

Durante uma hora e vinte e cinco minutos, o espetáculo “Lúgubre” se dispõe a levar o público a uma viagem aos círculos da vida e morte, tendo o suspense e até umas pequenas doses de terror. O drama/terror denuncia e critica a sociedade e o ser humano em suas escolhas que ferem, maltratam, machucam ou até mesmo matam o seu igual. “Lúgubre” é um adjetivo de dois gêneros na língua portuguesa e exprime algo de característica sombria, triste ou fúnebre. Também pode ser usado para falar da aparência de alguma coisa ou alguém, que provoca medo, pavor ou que tem um aspecto sinistro e medonho. O termo lúgubre está relacionado com a morte e aos mortos, sendo uma referência ao sentimento de luto e perda.

A Companhia Paraense de Potoqueiros planeja montar mais dois espetáculos baseado no livro A Divina Comédia, de Dante Alighieri. “Lúgubre” cobre os primeiros 33 cantos do livro. Como ressalta Breno Monteiro, diretor da peça “no inferno os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise. Vivemos golpes, fascismo, misoginia, machismo, homofobia, enfim, as mais diversas faces da violência, entre tantas outras mazelas”.

Breno Monteiro, diz que no espetáculo, Salvador, personagem principal, representa essa dualidade entre bem e mal, certo e errado, frio e quente, vivo e morto, que mostra que a humanidade pode ter se perdido, porém o dom de ser humano ainda existe e pode ser recuperado: “podemos escolher entre inferno ou paraíso. Com sua moeda de ouro nas mãos, o barqueiro Caronte o atravessará para um mundo de autoconhecimento, observação crítica de uma humanidade perdida e da possibilidade de viver em vida num lugar bem melhor. Nesta segunda temporada a Companhia Paraense de Potoqueiros convida a plateia a refletir sobre “quem é você?”.

O espetáculo da Companhia Paraense de Potoqueiros tem o apoio do Casarão Viramundo, LB Assessoria e Cerimonial, Governo do Pará, Secult, por meio do Sistema Integrado de Museus e Memórias e Museu do Estado do Pará.

No elenco do espetáculo estão os atores Alice Bandeira, Allyster Fagundes, Charles Roosevelt, Giscele Damasceno, Jadylson de Araújo, Leoci Medeiros, Manu Mendes, Nilton Cézar, Renan Delmont e Valéria Lima.

Na produção do espetáculo estão Breno Monteiro, que se desdobra em outras funções como a de conceber a direção e iluminação da peça, divide a dramaturgia com Lauro Sousa, que também faz a direção de visualidade. O figurino é assinado por Lauro Sousa e Luca Belo, que juntamente com Breno Monteiro fazem a cenografia. Lauro Sousa é, também, responsável pela trilha sonora. A operação de sonoplastia é de Erillon Viegas, a direção coreográfic é de Juan Silva; maquiagem de Nilton César e preparação corporal de Leoci Medeiros.

 

Serviço

Local: Sala Manoel Pastana  - Museu do Estado do Pará (MEP)

Sessões: 28 e 29 e 30 de setembro e 01 de outubro

Horário: 19h

Local: Sala Manoel Pastana - Museu do Estado do Pará

 

Fotografia: Tiago Pelaes