Início >> Noticia >> Humor para fazer rir e propagar a cidadania numa linguagem cabocla
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Humor para fazer rir e propagar a cidadania numa linguagem cabocla

 

A tônica do linguajar ribeirinho da Amazônia no Show de stand up, garantiu a plateia lotada na noite de sábado, dia 8, XI Salão do Livro da Região do Baixo Amazonas. A atração artística da capital paraense, o Epaminondas Gustavo repetiu o sucesso pela segunda vez no evento literário. O gênero humor faz homenagem a língua cabocla amazônica e propaga a cidadania. E incluiu a participação especial do cantor e compositor, Alfredo Reis,

“Eu acredito que o personagem aproveita para difundir a cidadania. Na capital paraense, o Epaminondas Gustavo tem um programa na Rádio, denominado, [Escuta Mano o Teu Recado]. No ar, envia o recado sobre orientações jurídicas, toda manhã em vários rádios do Estado. E eu fico muito feliz, que mesmo que a pessoa não seja um ribeirinho, sempre vai sentir um afeto, lembra da avó, do amigo do pai dela. E vai lembrar aquele hábito, aquele jeito de guardar dos documentos. Utilizar o personagem para favorecer as pessoas aproximarem-se do seu direito, da cidadania”, detalhou, o artista.

“Mano, era aí”, humor, cidadania e com orientações jurídicas. Vamos relembrar quem vive na pele, o personagem do linguajar ribeirinho amazônico? Primeiramente, ele diz que gosta muito de Santarém. “Município que representa muito essa cultura nossa do Pará. Eu fico sempre impressionado como as pessoas conhecem e se identificam com o personagem”, destaca.

O personagem ficou conhecido do grande público, a partir dos áudios que viralizaram pelo aplicativo de celular do Whats App. Epaminondas Gustavo é criação do juiz paraense, Claudio Rendeiro. “A linguagem do Epaminondas, longe de ser um deboche, na verdade, é uma grande homenagem a nossa linguagem ribeirinha, do Marajó, do Baixo Amazonas, que por conta desse carisma, o personagem acaba caindo no gosto popular”, disse, Rendeiro.

A acadêmica de história, Ana Silva disse que o conheceu pelo rádio, quando esteve na capital paraense. “O sotaque ‘caboclês’ sem dúvida me levou ao saudosismo, minha infância no sítio, Lago Grande, a pronúncia do paraense de raiz, a rotina do interior nos remete o sorriso sem dúvidas. E não poderia perder esta apresentação”, disse feliz.

Após concluir o Show, o juiz esteve no estande da Imprensa Oficial do Estado, dentro do Espaço Pérola do Tapajós, e autografou os títulos, “Sátiras de um ribeirinho, “Líricas Ribeirinhas” e “Outras Margens”, editados pela Imprensa Oficial.  Os livros réunem as crônicas do personagem que poderão ser ouvidas por meio de um QRCode que será disponibilizados para aparelhos de celular Android e IOS, que disponham do APP.

Neste domingo, a programação segue, a abertura dos portões do Espaço Pérola, às 16 horas, visitação aos estandes, atividades da Biblioteca Pública Municipal e o espetáculo de Teatro, “Livramento Conta Cascudo”, Conceição Campos (Rio de Janeiro/RJ).

O evento é realizado  pelo Governo Estadual, por meio da Secretaria de Estado de Cultura - Secult, em parceria com a Prefeitura de Santarém, por meio das Secretarias Municipais e demais parceiros, como a Imprensa Oficial do Estado – IOE. Nesta edição, o país homenageado será a Colômbia e o escritor/poeta paraense, Age de Carvalho.

 

Serviço

XI Salão do Livro da Região do Baixo Amazonas

Local: Parque da Cidade – Espaço Pérolas do Tapajós, Avenida Bartolomeu de Gusmão, 553.  Santarém – Pará. Contato: +55 93 3522-2663.  Segunda a sexta-feira: 9h às 22h. Sábado e domingo: 16h às 23h. Entrada franca