Início >> Noticia >> Medos, tramas e dilemas familiares são encenados por "Kaique, internamente"
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Medos, tramas e dilemas familiares são encenados por "Kaique, internamente"

Década de 60. Uma família decide viajar, mas o jovem adolescente de 16 anos Kaique, o caçula de quatro irmãos, recusa o convite, já que nunca conseguiu superar a perda de seu pai, Coronel José, que era piloto e faleceu em um trágico acidente de avião. Devido o trauma, Kaique fica sozinho em casa e escolhe o porão, local onde se sente protegido, para passar a temporada sem sua família. Naquele lugar fúnebre, pensamentos tortuosos o atormentam de maneira avassaladora, fazendo realidade e fantasia se entrelaçarem em uma trama de suspense, terror e drama.
 
Esse é o enredo central do espetáculo "Kaique, internamente", do Grupo de Teatro Atorres, que será apresentado hoje (28), às 20h30, no Teatro Experimental Waldemar Henrique, dentro da 1ª Mostra de Teatro "Nilza Maria", promovida pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e apoio da Fundação Cultural do Pará.
 
A peça foi escrita em 2012, por Bruno Torres, que dirige e atua no espetáculo. Bruno nos conta que além de ter sido inspirado em várias histórias de amigos e conhecidos, a obra também é fruto de um pesadelo que teve há anos atrás. "Meu pai é da aeronáutica e um dia tive um
pesadelo estranho que o envolvia e envolvia um avião. Um tempo depois, nosso grupo de teatro viajou para Manaus e lá tivemos a oportunidade de assistir a peça 'Casa de inverno', que nos instigou, nos levando a pensar e tivemos a ideia de trabalhar o 'Kaique' por essa mesma vertente provocativa", explicou o diretor.
 
Contemporâneo, o espetáculo trata também dos conflitos familiares e caos do mundo e suas doenças "invisíveis", porém, que mais matam atualmente: o preconceito, a discriminação, gerando traumas humanos e baixa estima, que levam à depressão e consequentemente à morte.
 
Um misto de desejos recalcados evocam sentimentos angustiantes, tanto nos personagens quanto para os espectadores. "Ao longo da vida vamos absorvendo diversas informações e tudo isso vai formando quem somos hoje. Queremos deixar - entre tantas mensagens - uma que consideramos fundamental: a importância de olhar e ver o outro. Muitas família não se enxergam e não percebem que um abraço ou um olhar podem mudar muita coisa", explanou Bruno.
 
O espetáculo tem 60 minutos de duração, contém cinco atores em cena e foi elaborado para teatro de arena. A classificação é para maiores de 16 anos.
 
Serviço:
Nesta quinta-feira (28), a 1ª Mostra de Teatro "Nilza Maria" apresenta três espetáculos. No Teatro Gasômetro teremos às 17h, a peça “Guerra ao Horror”, Grupo Teatro Variete e às 19h “Mukt Paier- Pés Livres”, do diretor Ysmaille Ferreira. Já às 20h30 teremos “Kaique, internamente", da Companhia de Teatro ATorres, no Teatro Waldemar Henrique.
Toda a Mostra tem entrada gratuita.