Início >> Noticia >> SECULT divulga empreendimentos que irão participar da 1ª Edição do Projeto Parque Criativo
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

SECULT divulga empreendimentos que irão participar da 1ª Edição do Projeto Parque Criativo

 

Foram divulgados nesta terça-feira (30), os 40 empreendimentos criativos selecionados via edital, para a 1ª Edição do Projeto Parque Criativo. A ação, denominada 1ª Feira Criativa será realizada no dia 11 de maio (sábado), de 09 às 17h, no Parque da Residência.

Entende-se por empreendimentos criativos aqueles cujas atividades produtivas atuem criativamente gerando um produto, bem ou serviço, onde a dimensão simbólica determina seu valor, resultando em riqueza cultural, econômica e social.

Uma curadoria composta por profissionais com experiência comprovada em economia criativa selecionou os empreendimentos:

“Acarajé da Jucy de Oyá” - Brena Santos Corrêa

“Acessórios Regionais” - Maria José Pantoja

“Adornos em Cerâmica” - Nohelma Alexandra Lima

“Artesanato” - Marta Rodrigues Ferreira de Carvalho

“Artesanato Sustentável” - Michelle Cristina Monteiro e Design

“Ateliê Art Genuina Eco Joias em Cerâmica Artística” - Valdenise de Almeida Genú

“Atelier de Artesanato” - Cristiane Menezes dos Santos

“Bel Amazônia Cuias com Grafismo Ind.” - Silvio de Jesus Mendonça da Silva

“Bio Arts” - Maria do Socorro Oliveira Castro

“Biomarajoara” - Suelle Paixão Reis

“Bonecos Típicos” - Maria do Socorro Conceição Pantoja

“Cabeça de Papel”- Paulo Emílio Campos

“Cerâmica Família Sant´ana” - Guilherme da Silva Santana

“Confecção de Moda” - Helena Lucia Macedo Bezerra

“Confecção em Couro” - Waldirene Mendes Ferreira

“CosturaÊ”  - Noel AMadeus Orlet

“Capitu Sabor e Amor” - Andreia Luiz Uchôa

“De Bem com o Verde” - José Antônio Costa Filho

“Dio´Artes” - Dionice Rodrigues Marques

“Eco Marajó” - Rosângela dos Santos Soeiro

“Ecoloja Bicho D´água” - Instituto Bicho D´água: Conservação Socioambiental

“Enilda Maria” - Enilda Maria Ferreira Vasconcelos

“Edna Marajoara” - Edna Marajoara

“Ééégua Mana” - Veruska Soluana Brito dos Santos

“Empreendimento do Artesanato” - Stéfano Cúnico Bernardo

“Empreendimento Moda” - Carla Bethânia Ferreira da Silva

“Enare Arte Indígena” - Suellen de Cassia da Silva

“Espaço do Artesão” - Nartreza de Souza Maia

“Etnia Dú Dimmi” - José Carlos Monteiro Paixão

“GMT - Grupo de Mulheres” - Sandra Lúcia Amaral Carvalho

“ID Pará” - Igor Diniz Gonçalves

“Kaboquinhas Ateliê” - Tâmia Alves Teotonio

“Kdesign Acessórios” - Kelly Caroline Azevedo de Sousa Badarane

“Macaxeira” - Suelena de Lima Leal

“Madame Floresta” - Maria das Graças Bulhões Arruda

“Morbach´s Doces e Salgados” - Edilene Morbach Paredes

“MRS Arte Amazônia” - Manoel Raimundo Sozinho Miranda

“Pavuartte” - Rayssa Ratto da Cruz

“RAMA” - Tainá Paiva Godinho

“Riso Design de Produtos” - José Ricardo Sousa

“Sorveteria Moema” - Alex Mendes

“Terrários Vida no Vidro” - Tânia Sena Conceição

“TRAMA” - Nilma Chagas Arraes

“Yemara Ateliê” - Lídia Mara Pereira Abrahim

A iniciativa é parte integrante do Programa Cultura Por Todo o Pará, uma estratégia de desenvolvimento de políticas públicas de educação patrimonial, histórica, ambiental e artística, que utiliza todas as linguagens e expressões para promover o enraizamento, ampliação e permanência de iniciativas e projetos de promoção social nos territórios de vulnerabilidade social.

A ideia do edital era democratizar o acesso às programações culturais e artísticas em diálogo com ações de empreendedorismo criativo, que fortaleçam a identidade cultural e a iniciativa da nossa gente. Assim, o edital cadastrou e identificou empreendimentos criativos em 3 (três) vertentes principais:

A primeira delas é a utilização de matérias-primas sustentáveis amazônicas na composição de no mínimo 80% dos produtos.

Na sequência temos o 'dialogo com a cultura local', já que a economia criativa brasileira deriva da ambiência e riqueza da diversidade cultural do país. Neste sentido, os empreendimentos criativos deverão dialogar diretamente com comportamentos e expressões que colaborem para a disseminação e valorização da cultura amazônica.

E ainda, 'inclusão social', pois a ampliação de acessos no combate à violência, analfabetismo, racismo e qualquer tipo de preconceito e exclusão está intrinsecamente ligada às atividades voltadas à economia criativa. Desta forma, a efetividade de políticas de inclusão produtiva da população prioriza aqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social, por meio da formação e qualificação profissional e da geração de oportunidades de trabalho e renda.

Na programação, teremos moda, artesanato, paisagismo, botânica, alimentação, além de música, teatro, literatura, atividades holísticas e rodas de conversa.

A iniciativa é uma realização do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e conta com apoio da Organização das Cooperativas do Brasil - Pará (OCB/PA) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE),

Serviço:

A 1ª edição do Projeto Parque Criativo, acontece no dia 11 de maio, a partir de 9h, no Parque da Residência. A entrada é franca.