Início >> Noticia >> Etapa Santarém do I Festival do Choro do Pará
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Etapa Santarém do I Festival do Choro do Pará

 

O I Festival do Choro do Pará iniciou o processo seletivo no dia 15 de outubro e irá até o dia 18 de novembro. O concurso visa incentivar a cultura do choro, estimular a produção musical, revelar novos talentos e valorizar os cantores, os compositores e os músicos, além de promover o intercâmbio artístico-cultural. A inscrição é gratuita, podendo participar qualquer compositor e/ou músico residente no território nacional, maior de 16 anos. A ficha de inscrição e as informações estão disponíveis no site oficial da Secretaria de Estado de Cultura – SECULT (www.secult.pa.gov.br) e podem ser enviadas para o e-mail festivaldochorodopara@gmail.com.

O Festival aceitará inscrições nas categorias: choro cantado e choro instrumental, podendo ser inscritas qualquer vertente do gênero Choro - choro canção, choro ligeiro, choro camerístico e choro sinfônico. As seletivas serão dividas em duas eliminatórias, uma em Santarém e outra em Belém. A primeira será em Santarém, no dia 1 de dezembro, na Casa da Cultura - Auditório Felisbelo Jaguar Sussuarana. A cidade é localizada na região oeste do Pará, na mesorregião do Baixo Amazonas, situa-se na confluência dos rios Tapajós e Amazonas, conhecida, poeticamente, como "Pérola do Tapajós",

Ao todo, 26 músicas serão selecionadas para participarem do Festival, sendo classificadas 12 composições em Santarém e 14 em Belém. Das 12 composições de Santarém, cinco serão classificadas para a final, que serão somadas às sete composições finalistas da eliminatória de Belém, que acontecerá no dia dez de dezembro, totalizando 12 musicas para concorrer a grande final do Festival.

As 12 músicas classificadas, terão direito à premiação de R$ 1.000,00 (hum mil reais), a ser liberada aos vencedores até, no máximo, 30 dias após a divulgação do resultado. Serão considerados como vencedores do I Festival de Choro do Pará os concorrentes que tiverem as três maiores pontuações e o Grupo Musical que receber a maior pontuação; as premiações são: 1ºlugar, R$10.000,00 (Dez Mil Reais); 2º lugar, R$ 8.000,00 (Oito Mil Reais); 3º lugar, R$6.000,00 (Seis Mil Reais) e o melhor grupo instrumental, R$ 5.000,00 (Cinco Mil Reais).

A final ocorrerá em Belém no dia 11 de dezembro, às 20h, no Teatro Gasômetro. E no dia 12 de dezembro acontecerá o show em homenagem ao Choro do Pará, no espaço cultural “Casa do Gilson”, reduto do choro no Pará, frequentado por sambistas, poetas e chorões.

O cantor e compositor Alfredo Reis, nome conhecido no cenário do paraense, fala sobre a importância que o festival trás ao gênero. Alfredo afirma, “Que dos grandes festivais que tivemos aqui para a divulgação doa musica popular brasileira produzida na Amazônia, o I Festival do Choro do Pará, vem para somar, sim! Um segmento que já esta aí há algum tempo, que já é um segmento tradicional, uma realidade musical presente na nossa cultura a uns 30 a 40 anos, que na tradicional casa do choro, comandada pelo o mestre Gilson. O Choro está na hora de acontecer e está na hora de conquistar o espaço que ele já representa na cultura popular brasileira”.

O Choro

Popularmente chamado de chorinho, é um gênero de música popular e instrumental brasileira que surgiu no Rio de Janeiro. Tido como a primeira música urbana tipicamente brasileira que se transformou em um dos gêneros mais prestigiados da música popular brasileira, visto como o recurso que o musico brasileiro usou para adaptar, ao seu estilo, a música importada e consumida nos salões e bailes da alta sociedade do Império a partir da metade do século XIX.

Tem como origens estilísticas o lundu, ritmo africano à base de percussão, com gêneros europeus. A composição instrumental dos primeiros grupos de choro era baseada na trinca flauta, violão e cavaquinho, mas com o desenvolvimento do gênero, outros instrumentos de corda e sopro foram incorporados. Os primeiros conjuntos de choro surgiram por volta da década de 1870, nascidos nas biroscas do bairro Cidade Nova e nos quintais dos subúrbios cariocas. O flautista e compositor Joaquim Antônio da Silva Calado, os pianistas Ernesto Nazaré e Chiquinha Gonzaga, e o maestro Anacleto de Medeiros compuseram quadrilhas, polcas, tangos, maxixes, xotes e marchas, estabelecendo os pilares do choro e da música popular carioca da virada do século XIX para o século XX, que com a difusão de bandas de música e do rádio foi ganhando todo o território nacional.

Na década de 1920, o maestro Heitor Villa-Lobos compôs uma série de 16 composições dedicadas ao Choro, mostrando a riqueza musical do gênero e fazendo-o presente na música erudita. A série é composta de 14 choros para diversas formações, um Choro Bis e uma Introdução aos Choros. Já Pixinguinha é considerado herdeiro de toda essa tradição musical e consolidou o choro como gênero musical, levando o virtuosismo na flauta e aperfeiçoando a linguagem do contraponto com seu saxofone e organizou inúmeros grupos musicais, tornando-se o maior compositor deste ritmo.

O Festival é uma realização do Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, com patrocínio do Ministério da Cultura/FUNARTE, através da Emenda Parlamentar do Deputado Federal Arnaldo Jordy e parceria da prefeitura municipal de Santarém.

 

Serviço

Etapa Santarém do I Festival do Choro do Pará

Local: Casa da Cultura - Auditório Felisbelo Jaguar Sussuarana. Av. Borges Leal, entre Silvino Pinto e Barão do Rio Branco. Santarém – Pará.

Data: 1 de dezembro de 2018

Ficha de inscrição, regulamento e informações sobre o Festival: www.secult.pa.gov.br e festivaldochorodopara@gmail.com

 

Camila Correia