Início >> Noticia >> Juraci Siqueira encontra estudantes da gincana literária
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Juraci Siqueira encontra estudantes da gincana literária

 

 A Escola de 2º Grau Prof. Antônio Gondim Lins, localizada na Cidade Nova 6, em foi o primeiro local de encontro entre alunos e autores, dentro do programa da Gincana Literária da 22ª. Feira Pan-Amazônica do Livro. A escola faz parte da USE 13, que reúne mais dois estabelecimentos de ensino: as escolas Gaudêncio Ramos e Luci Correa Araújo. Cada uma elegeu cinco estudantes para a representação dessas unidades na gincana e o autor escolhido foi o poeta Antônio Juraci Siqueira.

O encontro aconteceu na biblioteca da escola Antônio Gondim Lins, no último dia 11, sob a coordenação dos professores Vera Lucia Rodrigues, Ana Cláudia Barbosa e Waldir Lisboa, que têm as melhores expectativas e são responsáveis por incentivar os alunos a conhecer o escritor paraense e sua obra. Vera Rodrigues que a obra de Juraci Siqueira foi bem recebida pelos estudantes. E que eles se empenharam em demonstrar isso também na decoração da biblioteca para receber o escritor, que irá participar, também, feira literária que a escola vai promover.

Elisa Serrão, representante da USE 13 – Unidade Seduc na Escola 13, -  falou sobre a importância que o projeto tem em aproximar e proporcionar essa oportunidade a estudantes de escola pública e Luciana Santos, técnica da Feira do Livro da Secretaria de Estado de Cultura – Secult - falou sobre o projeto, enfatizando a importância de os alunos lerem mais. O evento contou com duas apresentações coordenadas pelo o professor Lisboa por meio do projeto interno da escola chamado de Biblioteca livre, foi um pequeno show de voz e violão feito pelo aluno Paulo Sales e uma apresentação teatral montada pelos estudantes Kamilly Gonçalves, Luan Augusto e Gabrielly Miranda, com a dramatização do soneto “Acorda Alice” de Juraci.

O poeta de Afuá

Depois desses números, o poeta Juraci Siqueira contou sobre sua vida, carreira e inspirações. Na conversa com os alunos compartilhou ideias e curiosidades, tirou dúvidas sobre o seu processo de criação e deu dicas sobre como enfrentar críticas, tudo em um clima leve e descontraído. Quando perguntado por uma aluna da escola Gaudêncio Ramos, sobre como conseguiu chegar ao patamar que está disse, ele nem titubeou e disse: “Começa a jogar no papel, tudo o que você quiser. Crie e não tenha medo de escrever”. Após sua participação Juraci distribuiu coraçõezinhos cortados à mão, coisa que já faz há 31 anos e que viraram sua marca, neles contem diversas frases criadas pelo o mesmo.

Antônio Juraci Siqueira, nasceu no dia 28 de outubro de 1948, no município de Afuá do Pará, localizado em Cajary, onde, ainda menino, descobriu a literatura através dos folhetos de cordel. É graduando em Filosofia pela Universidade Federal do Pará e sua primeira publicação literária foi em 1981. Atua como oficineiro, performista, contador de histórias e publicou mais de 60 títulos individuais entre folhetos de cordel, livros de poesias, contos, crônicas, histórias humorísticas e versos picantes. Colabora com jornais, revistas e boletins culturais de Belém e de outras localidades e conta com mais de 200 premiações em concursos literários em vários gêneros, em âmbito nacional e local. Ele brinca que parou de contar quantas publicações e livros já tem.

Valorização do autor

A estudante Kamilly, 14 anos, que cursa o 1º ano na Escola Antônio Gondim Lins, diz que o projeto é importante para os alunos terem mais oportunidades, conhecer mais sobre o Juraci Siqueira e suas obras, além do reconhecimento que a escola terá por participar da Gincana Literária.

Na Escola Gaudêncio Ramos foram cinco meninas escolhidas para representarem a escola, dentre elas Andressa Emilly, 16 anos, que declarou sua paixão por leitura, foi salva pelo gongo e está na gincana: “a vaga já estava preenchida, a chance surgiu quando outro aluno desistiu. Nesse momento, vi a oportunidade de participar e me ofereci. Ela disse que sonha ser escritora e vê Juraci “como um artista e inspiração, pelos prêmios que conquistou e pelo reconhecimento que possui”.

Vitor Matias, 16 anos, cursa o 2º ano da escola Luci Correa de Araújo, gosta de ler e acha de extrema importância a gincana literária, pois “ela ajuda os alunos a terem um maior conhecimento, principalmente sobre as obras de certos autores e por despertar curiosidade nos estudantes que ajuda no crescimento da vida acadêmica”. Seu primeiro contato com a obra de Antônio Juraci Siqueira foi através do livro ‘Incêndio e Naufrágio’, distribuído em seu colégio.

Criada em 2014, a Gincana Literária tem como objetivo incentivar entre os estudantes o hábito da leitura, a partir da valorização das obras e de autores paraenses. O evento faz parte das programações da 22ª.  Feira Pan-Amazônica do Livro e envolve várias escolas públicas. A Feira do livro é reconhecida como o maior evento de fomento à leitura do Pará e o terceiro no Brasil. Esta ação tem o apoio do Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e da Secretaria de Estado de Educação do Pará.

 

 

Por Camila Correia