Notícias

Secult diversifica ações e garante um ano produtivo para a área cultural em 2022

Secretaria lançou editas de incentivo às expressões artísticas e entregou os novos Museu do Marajó e o Palacete Faciola entre outros equipamentos
Por Josie Soeiro (SECULT)
05/01/2023 14h54 - Atualizada em em 05/01/2023 14h57

Durante todo o ano de 2022, a Secretaria de Estado de Cultura promoveu diversas ações com vista ao fomento e a valorização da cultura em todo o Estado. Editais, Festivais, Feiras, obras de manutenção e restauros do patrimônio histórico cultural e entregas de novos equipamentos culturais marcaram este ano como um dos mais importantes para o setor cultural paraense.

“O ano de 2022 representou para a cultura do nosso Estado um ano de esperança, de reencontros e um ano de desafios. Realizamos investimentos, inauguramos grandes obras, como o museu do Marajó e o Centro Cultural Palacete Faciola, e vamos nos preparar para os novos desafios, deixar a Secretaria de Cultura pronta para que nos próximos anos possa, cada vez mais, ser alicerçada na política de desenvolvimento, de fomento e incentivo à cultura. Este é um ano também que representou uma grande transformação para a cultura paraense: finalmente, temos um sistema estadual de cultura. Neste momento, a Secretaria se organiza para realizar a sua regulamentação, iniciar o processo de efetiva instalação do Conselho Estadual de Cultura e planejar o futuro do sistema e o futuro da política para a cultura no Pará. 2022 representa acima de tudo um ano de renovação e de esperança para a cultura e para o povo do Pará”, avalia o secretário de Estado de Cultura, Bruno Chagas. 

Museu do Marajó
O ano de 2022 começou com um dos maiores investimentos do Governo do Estado, na região marajoara: a entrega do Museu do Marajó, em Cachoeira do Arari. Após anos fechado, o museu abriu suas portas com várias novidades, como um grande salão de exposições, remanescente do museu original, incluindo fachada e área de exposições. Na atual concepção museológica foram incluídos novos espaços associados ao grande salão original: como um novo acesso, através de um hall de entrada voltado para a rua principal, uma lojinha do Museu, área administrativa e apoio técnico, a casa do Padre Gallo, varandas externas voltadas para o bosque do Museu e um novo acesso coberto para a reserva técnica do complexo. 

Também foram incluídos no novo conceito um conjunto de banheiros públicos e circulações internas ajardinadas. Nas áreas externas, anexas ao pavilhão principal do Museu, foram incorporadas duas praças, uma interna que conecta o pavilhão principal do Museu à sepultura e à casa do padre Gallo, além da praça externa criada a partir da retirada dos muros do Museu ao longo da nova fachada principal, possibilitando uma interação direta com a cidade. Com a reforma, o Museu também recebeu novas instalações elétricas, hidrossanitárias, instalações de prevenção e combate à incêndios. Além de iluminação especial para a exposição e climatização geral. O investimento total foi de R$ R$ 3.876.302,95.

Revitalização do MAS
Logo no início do ano, também, a população de Belém recebeu o Museu de Arte Sacra (MAS) totalmente revitalizado. Com investimento de aproximadamente R$1 milhão, o MAS recebeu intervenções para reconstituição da pintura das fachadas, reparos no telhado, a remoção de infiltrações, goteiras, desentupimento das calhas e outros. O local, que abriga ainda a Igreja de Santo Alexandre, não recebia essa revitalização completa há cerca de 10 anos.

Igreja Matriz de Vigia
Ainda no primeiro semestre, o Governo do Pará, por meio da Secult, assinou um Acordo de Cooperação Técnica com a Diocese de Castanhal e a Prefeitura Municipal de Vigia para a restauração da Igreja Matriz da cidade. A previsão do orçamento da obra é de R$ 4 milhões e deve durar 18 meses.

Palacete Faciola
Outra obra relevante para o setor cultural do Estado em 2022 foi o restauro e reconstrução de um dos casarios mais simbólicos da arquitetura de Belém, o Palacete Faciola. Composto por três casas, o equipamento, que agora tem um caráter cultural, abriga o Departamento de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (DPHAC), o Museu da Imagem e do Som (MIS) e um auditório para 105 pessoas, que funciona como espaço multifuncional para atividades ligadas às manifestações e expressões da cultura material e imaterial do Estado. Após anos de abandono, o imóvel, recebeu um investimento superior a R$ 15 milhões. 

Edital Preamar de Cultura e Arte
Em 2022, o fomento à cultura paraense teve um salto significativo: o Edital Preamar de Cultura e Arte aumentou sua abrangência de R$ 1 milhão para R$ 5 milhões. O objetivo foi selecionar 210 projetos culturais em todo o Estado, com prêmios que variavam de R$ 15 mil a R$ 70 mil. A iniciativa contemplou 20 linguagens, expressões, práticas, manifestações e segmentos culturais do Estado do Pará: circo, dança, teatro, audiovisual, artes visuais, culturas afro-brasileiras, culturas indígenas, culturas populares, livro e leitura, cultura alimentar, música, artesanato, moda e design, cultura digital, cultura gospel, patrimônio cultural material, patrimônio cultural imaterial, museus e memoriais de base comunitária, cultura urbana e periférica, pontos e pontões de cultura.

Feira do Livro
Em 2022, a Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes retornou ao Hangar Centro de Convenções após dois anos. Realizado de 27 de agosto a 04 de setembro, o calendário literário reuniu 520.368 mil pessoas em nove dias de programação, batendo o recorde da média diária de visitantes em 2019 já no segundo dia: 75 mil. A 25ª edição da Feira homenageou a cantora e compositora Dona Onete e o escritor e jornalista Edyr Augusto. O evento movimentou cerca de R$ 18 milhões em negócios, gerou 2 mil vagas de empregos diretos e indiretos na montagem, realização e desmontagem. 

Os 219 estandes espalhados pelo espaço comercializaram 816 mil exemplares de 450 editoras. Além disso, o Beco do Artista - espaço para comercialização de obras de artistas locais - alcançou a marca de R$ 60.500,00 em vendas. Na ocasião, mais de 5 mil pessoas se vacinaram contra sífilis, Hepatite A, B e C, covid-19, gripe (influenza), tríplice viral e HPV, por meio do serviço ofertado pela Secretaria de Saúde Pública (Sespa), que também realizou testes testes rápidos de covid-19.

Festival de Ópera
O XXI Festival de Ópera do Theatro da Paz, realizado em 2022, executou três grandes óperas na temporada: ‘Ópera dos Terreiros’, em parceria com o Núcleo de Ópera da Bahia, ‘As Bodas de Fígaro’ e ‘Armide’. Também realizou a formação técnica de 80 pessoas atendidas pelo Projeto Sons de Liberdade, em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP), em um investimento de R$ 300.000,00. Ao todo, o Festival investiu R$ 1,5 milhão nas três montagens, gerando 450 empregos diretos.

Em março, as Secretarias de Cultura dos estados do Pará e do Amazonas firmaram um termo de cooperação para efetivar a criação do Corredor Lírico do Norte. Este ano, o Festival de Ópera do Theatro da Paz concedeu 10 bolsas de capacitação para alunos amazonenses, cinco para cantores e outras cinco para técnicos, além da apresentação da montagem paraense de ‘Il Tabarro’, de Puccini, na abertura do 24º Festival Amazonas de Ópera (FAO).

Preamar
Outras programações fixas também se destacaram no calendário da Secretaria este ano, como o Preamar Cabano, que celebrou os 406 anos da capital paraense e os 187 anos do Movimento da Cabanagem com ações em diversos equipamentos de cultura; o Preamar Junino, uma programação cultural com shows, apresentações de quadrilhas, bois, pássaros juninos, exposição e cursos promovidos pelo Programa Territórios pela Paz; o Preamar do Círio, que promoveu um circuito de ações em diversos espaços museais; o Preamar do Patrimônio, responsável por promover o debate acerca da importância da preservação patrimonial; o Preamar da Consciência Negra, que teve como pontos principais a assinatura de um termo de fomento que prevê o repasse de R$ 100 mil (cem mil reais) para as ações em comunidades quilombolas e a assinatura da ordem de serviço para o início das obras da construção do Museu da Consciência Negra, orçado em R$ 4 milhões; e o Preamar das Festas, com programações gratuitas e diversificadas.
 
Sistema Estadual de Cultura
No dia 24 de novembro, o Governo do Pará realizou o ato de assinatura da Lei nº 9737, que institui o Sistema Estadual de Cultura (SECPA), sancionada no dia 21. A cerimônia ocorreu no Centro Cultural Palacete Faciola. A partir do ato, será formado o Conselho Estadual de Cultura para então ser debatida a implementação da Lei.